Postado em 31 de Outubro de 2016 às 08:07
Vereadores de Corrente aumentam o próprio salário em 30,10% e do prefeito em 133%
Lei promulgada pelo Presidente da Câmara prevê ainda reajustes anuais

Os vereadores do município de Corrente aprovaram o reajuste do próprio salário para a próxima legislatura, de R$ 5.500,00 para R$ 7.200,00, o que representa um reajuste de 30,10%. A Lei nº 636/2016, promulgada em 24 de outubro pelo Presidente da Câmara Ricardo Souza, também reajusta o salário do presidente para R$ 9.000,00 e prevê ainda reajustes para cada um dos anos da legislatura 2017/2020.

Já a Lei nº 637/2016 fixa o salário do prefeito eleito em R$ 14.000,00, um reajuste de 133,33% em relação ao atual de R$ 6.000,00. O salário do vice-prefeito, de R$ 3.500,00, passará para R$ 9.000,00, ambos também com previsão de reajuste anual, conforme Inciso X do Artigo 37 da Constituição Federal.

O salário dos secretários municipais igualmente receberam reajustes, com a Lei nº 635/2016, passando dos atuais R$ 2.450,00 para R$ 4.000,00.

O prefeito Jesualdo Cavalcanti Barros, que ganhou destaque na imprensa pelo corte no próprio salário de 50% em setembro de 2015, não sancionou as leis de reajuste votadas em julho pela Câmara, cabendo ao presidente Ricardo Souza promulga-las.

“Seria uma incoerência da minha parte sancionar essa lei, já que no ano passado propus o corte no meu próprio salário, do vice-prefeito e dos secretários municipais, dada a crise que o país enfrenta e a consequente queda nos repasses aos municípios. Neste momento é imprescindivel diminuir as despesas, não aumentá-las”, declarou o prefeito.

As Leis º 635, 636 e 637/2016 foram publicadas em 26 de outubro de 2016 no Diário Oficial dos Municípios. Dos atuais 11 vereadores de Corrente, 7 foram reeleitos e um deles, Dionízio Nogueira Júnior, foi eleito vice-prefeito.


ULTIMAS NOTÍCIAS